segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Introdução

Joanna Marcenal



Uma menininha com cinco anos de idade, cheia de vida, feliz , rodeada de carinho, cuidada com muito amor por sua mãe Cristiane e seu papai do coração, Ricardo.

Joanna era uma menina sorridente, gostava de ajudar os amiguinhos e os irmãozinhos gemeos . Era uma criança amorosa e prestativa dentro do seu universo infantil. Mesmo tão pequena ela já mostrava os sinais da bençãos do bem e do amor semeados por sua família.

Joanna Marcenal Marins nasceu em 20/10/2004, fruto de um namoro entre Cristiane Cardoso e André Marins .
 
Cristiane rompeu o namoro durante a gravidez. André mantinha um outro relacionamento amoroso com uma mulher ( Vanessa Marins com quem passou a viver e teve duas filhas) que também ficou grávida dele durante aquele período.

Quando Joanna nasceu, André a registrou, mas pouquíssimas vezes apareceu para vê-la. Por receio de um dia ser apontada como causadora do afastamento entre André e a filha, Cristiane fez questão de entrar na justiça para estabelecer regras de visitação, deixando claro que ela nunca havia impedido o relacionamento entre pai e filha.

Porém um primeiro fato estarrecedor aconteceu, em uma dessas raras vezes em que o pai biológico esteve com a criança, em 2007, Joanna foi devolvida com sinais de espancamento. Foram feitos exames no Instituto Médico Legal e existe um inquérito sobre as agressões. Joanninha estava com dois anos de idade.  
Perguntada sobre o fato, ela só chorava. Depois desse episódio, André se afastou completamente.
Quando a mãe perguntava se Joanna queria que ligasse para o pai biológico, a pequena dizia “Papai André é mau, ele me bateu na cabeça...”

André está envolvido em 103 ações cíveis na Justiça. Na polícia civil o nome dele aparece em 26 registros de ocorrências, em alguns casos por agressão e estelionato. Existe um boletim de ocorrência que ocorreu logo após o episódio em que Joanna foi devolvida para a mãe com sinais de agressões. Neste boletim consta que André foi ferido pela mulher Vanessa com uma cadeirada, o motivo da briga foi que a madrasta não queria a presença de Joanna na casa deles e não aceitou que a família de André fizesse uma festa de aniversário para a criança. Os relatos são de que eles viviam uma relação violenta. 
Após longos períodos de desinteresse, apesar de já ter agredido Joanna, André passou a buscar formas de tê-la sob seu domínio.

Em maio de 2010, quando conseguiu finalmente ter Joanna totalmente ao seu dispor, entre quatro paredes, desprotegida, incomunicável, refém, ela foi severamente maltratada a ponto de sofrer  danos tão irreversíveis a sua saúde que sua morte foi inevitável.

No dia 14 de Julho, de acordo com depoimento prestado à poliícia, uma senhora contratada por André e pela madrasta para ser babá das crianças, em seu primeiro dia de trabalho, encontrou Joanna deitada no chão, com pés e mãos amarrados com fita crepe, de calcinha e camiseta, suja de fezes e xixi. Joanna gemia, demonstrava grande sofrimento. Diante da reação chocada desta senhora, André disse-lhe para não ficar assustada, que Joanna havia tido convulsões. Apesar dos apelos da babá para deixá-la limpar Joanna e colocá-la na cama, ele não permitiu. 

Esta senhora relatou ainda que voltou para casa abalada, chorando, e que em conversa junto aos seus familiares, decidiu que iria sair do emprego logo que pudesse. Quando voltou, logo após sua folga, numa segunda feira dia 19 de Julho, Joanna havia sido internada. Foi então que fez uma denúncia anonima no Disque- Denúncia, antes mesmo do caso ser divulgado na mídia.


Deitada no chão, dentro de um closet, com pés e mãos amarrados, suja de fezes e urina, de calcinha e camiseta, com olhos inchados, marcas no torax, gemendo de dor. Assim estava Joanna, cerca de 50 dias após ter sido entregue ao pai biológico.

Poucos dias após esta cena, a menina Joanna, que junto de sua mãe levava uma vida saudável, bem cuidada, alegre e viva, entrou em coma que terminou com sua morte em 13/08/2010.
 
Este blog conta o martírio, a Via Crucis de Joanna, o anjo imolado na cova da maldade.

Nosso objetivo é simples e transparente como a água: queremos Justiça. 

Não falamos da Justiça torta e falha que arrancou Joanna dos braços da sua mãe e da segurança de seu lar, para entregá-la a um sujeito que já havia lhe espancado e que respondia a 23 processos relacionados a agressões.

Temos sede da verdadeira Justiça, que não deixará este crime impune, que não aceitará subterfúgios, nem deixará que a mentira e o conluio sejam vitoriosos através da impunidade.

Não vamos ficar calados enquanto a verdade não vier a tona.

A capacidade de sentir a dor alheia como se fosse a nossa própria dor é a nossa maior motivação.

Se vc também se sente assim, venha fazer parte dessa força que começa a se unir, venha pedir Justiça por Joanna Marcenal.

11 comentários:

  1. JUSTIÇA!!!!!!
    Cadeia Para esses dois monstros.crueldade..., não vão sair em punes,
    Espero q seja feita justiça, pq Justiça Divina é Infalivel tenho certeza...
    Cadeia Neles !!!!

    ResponderExcluir
  2. Pena de morte para esse assassino desgraçado!!

    Caso parecido com o da Isabella.

    ResponderExcluir
  3. Deus do céu, com lagrimas nos olhos e uma dor cortante no coração pesso JUSTIÇA ..................

    ResponderExcluir
  4. A chamada Justiça do Brasil está seriamente doente... Cheia de INCOMPETENTES!!! Se não fosse assim, não teriam entregue essa criança INOCENTE nas mãos de um ASSASSINO!!! A VERDADEIRA JUSTIÇA, COM C E R T E Z A, SERÁ FEITA, não somente pelas mãos dos homens aqui nesta terra, colocando MÁ DRASTA LOUCA e MONSTRO PAI NA PRISÃO, mas pelas mãos implacáveis de DEUS, CRIADOR DE TUDO E DO UNIVERSO!!! Podem ter certeza!!! Ele é SOBERANO e NADA passa despercebido caberá a ELE toda a VINGANÇA! CABE A DEUS A PROVIDÊNCIA DA VERDADE E DA JUSTIÇA!!!

    ResponderExcluir
  5. Fico chocada! que monstro é esse que faz isso com sua filha?Meu Deus que absurdo,é dificil de ler isso e não ir as lágrimas...imagino o horror que essa criança passou nas mãos desses monstros que ainda tinham a conivencia de profissionais incompetentes.Eu peço a verdaeira justiça que olhe seriamente para o caso de Joana, e para também muitos outros casos de violencia contra crianças..Fico doente..triste em ver tanta maldade.Esse verme André Martins e essa madrastra não são dignos de qualquer piedade, ou qualquer outro gesto humano...são o excremento,o pior que se pode qualificar.

    ResponderExcluir
  6. Sr. Meu Deus como isso dóiiii, sou mãe e sinto a dor desta mãe que teve sua filha arrancada dos braços.
    Justiça seja feita aqui nesta terra pelas autoridades honesta e não por pessoas c/ poderes e que se benificiam por tal poder.

    ResponderExcluir
  7. ANNA AMÉLIA (MÃE, PROFISSIONAL E SER HUMANO)16 de abril de 2011 20:35

    DEFINITIVAMENTE A JUSTIÇA DEVE SER FEITA! NESTE CASO E EM MUITOS OUTROS EXISTENTES!!! E NÃO SOMENTE DE FORMA REPRESSIVA COMO NO CASO DESSA CRIANÇA TÃO MALTRATADA PELO MOSTRO QUE NÃO PODE LEVAR O NOME DE PAI!!! PERANTE DEUS COM CERTEZA TERÁ JUSTIÇA E PERANTE NÓS???
    OS SERVIDORES DO JUDICIÁRIO QUE PERMITIRAM ESSE CRIME HEDIONDO DEVEM PAGAR TAMBÉM!!! E LOGO!!! MINHA QUERIDA MÃE GUERREIRA, TENHO CERTEZA QUE SUA FORÇA JAMAIS SERÁ ABALADA! VÁ EM FRENTE! EM NOME DA SUA JOANNA (ESSE SERIA O NOME DA MINHA CAROLINNA) E EM NOME DE TANTAS CRIANÇAS QUE JÁ FORAM E QUE POSSAM VIR A SER MALTRATADAS PELOS SEUS PRÓPRIOS RESPONSÁVEIS!!! MINISTÉRIO DA JUSTIÇA!!! CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA!!! MINISTÉRIO PÚBLICO!!!! TODOS QUE DEVEM E PODEM: FAÇAM ALGUMA COISA!!! NÓS COBRAREMOS!!! SEMPRE!!!

    ResponderExcluir
  8. É o absurdo. Quem é esse juiz que entrega uma menina assim para os descuidados de um pai animalesco? Um brutamontes que tem o hábito de agredir? Que juiz é esse? E pensar que pagamos o salário deste "desmagistrado" co-matador de criancinhas.

    ResponderExcluir
  9. Eu creio em Deus e ele é justo e fará justiça a quem fez isso com uma inocente criança, é o fim dos tempos mesmo

    ResponderExcluir
  10. todos devem se unir para gritar justiça ;justiça,justiça.como uma mae de familia cheia de sonho para o futuro de meus filhos digo isso é uma barbaridade

    ResponderExcluir
  11. Sinto muito pela sua perda... por causa de uma justiça totalmente falha e de um pai sem escrupulos. Onde está a justiça Brasil? Como voces tiram uma criança da mãe e dão pra um marginal? Pq ele não pode ser outra coisa...Que desculpa é essa de Alienação Parental? O pai não se importa e a mãe que é culpada?? Cade a infeliz da juiza que deu essa ordem? Essa fdp tem filhos por acaso?? Pq se tem deve estar com o pai deles, pq vc juizinha de merda, não deve ter a menor noção do que é REALMENTE cuidar de uma criança. O sangue dela esta correndo nas suas mãos, nas mãos do desgraçado do André, pq ele não deve ser nem de longe chamado de PAI. Alguma justiça será feita, senão aqui, onde ela puder alcança-lo.

    ResponderExcluir