terça-feira, 29 de março de 2011

Desabafo

Amigos,

Estou indignada e apavorada.

Eu nada entendo de Justiça e apesar das justificativas apresentadas para a decisão da soltura do pai de Joanna, minha filha, eu continuo sem entender como funciona a Justiça.

Primeiro entregam minha filha a ele para ser morta, agora a sepultam novamente dando ao principal responsável, que era o garantidor da vida dela, o pai, o que detinha a guarda, a liberdade para que comemore junto à seus familiares sua liberdade. E eu sigo em dias de luto intermináveis.

Só entendo do que fui tecnicamente e emocionalmente formada. Como mãe sinto uma dor lancinante, de alma sangrando, rasgada, ouço o som do sorriso sem poder vê-la.

Como médica, posso entender fisiologicamente o sofrimento de minha filha naquela casa. Estar amarrada pés e mãos sobre fezes e urina num tapete dentro do closet, com uma camisa regata, num chão frio de granito em pleno julho, inverno portanto, é quase Auschwitz para uma criança de 5 anos. Não consigo suportar imaginar a dor que minha filha deve ter sofrido. A essa hora já estava queimada nas nádegas com uma queimadura feita por abrasão segundo os peritos. O corpo já tinha equimoses.

Cheguei ao hospital e a encontrei em morte cerebral clínica com pés e mãos inchadas e o corpo emagrecido com todas essas marcas.

Após sua morte seu corpo foi, no IML, aberto de alto a baixo para ser examinado, sua cabeça recortada e seu cérebro fatiado a fim de que descobrissem o que a matou. Os detalhes eu poupo os que não entendem sobre o assunto de saber.

Disso eu entendo: de sofrimento, de pavor, de saudades, de indignação.
Mas eu não perco a fé e a esperança.

Deus trouxe a verdade à tona e ela GRITA diante de nós.

Minha filha não será esquecida no cemitério por nenhum de nós, brasileiros que se tornaram pais e mães de Joanna.

“ Nós não somos dos que voltam atrás e retrocedem, ao contrário nós cremos e somos salvos “ Hebreus 10: 39      - Bíblia Sagrada.

Meu máximo agradecimento a todos vocês.

Em tempo: Hoje ao chegar para trabalhar encontrei um grupo de pacientes encostados na porta trancada à espera para me apoiar. Eles conhecem a  minha dor. São representantes de vocês que se indignaram também!

Cristiane Marcenal

7 comentários:

  1. Peço a Deus que te dê muita força. Não sei sinceramente como você suporta. Mas sei que você tem ainda que cuidar dos seus filhos e desse anjo que parece ser este homem que está a seu lado e que deveria (ele sim) ser o pai da Joanna. Mas creio que você sabe que Jesus dá a carga a quem pode suportá-la . Você tem a missão de livrar estes seres infelizes (não sei porque ninguém fala desta má(drasta) do convívio das outras pessoas da sociedade, e olha que todos estes advogados, juizes ????, e simpatizantes da criatura deveriam ser presos também, mas justiça mesmo seria a Joanninha voltar à vida. Mas isso acontecerá quando todos nós estivermos reunidos em Deus. Força Cristiane, e fique você e os seus nas mãos do Juiz dos Juízes.

    ResponderExcluir
  2. Quando o pai que deveria proteger comete uma atrocidade destas e, a justiça que deveria prender um canalha destes resolve soltá-lo...começo a perder a esperança no mundo...se é triste e revoltante pra mim, imagino para você Cristiane. Sei que os culpados serão punidos, mas realmente não há como não questionar "quando?"

    ResponderExcluir
  3. Querida,
    Somos solidárias a sua dor.
    Hoje estou com a alma lavada depois do discurso da Cidinha Campos.
    Dias melhores virão.
    Meu abraço fraterno.

    ResponderExcluir
  4. Estamos numa sociedade que somente beneficia e protege os criminosos. A justiça não existe, é um circo montado para provocar mais sofrimento nas vítimas e seus familiares e arrancar dinheiro, impostos, da classe trabalhadora e vítima do sistema ineficaz, corrupto, corporativo e podre.

    ResponderExcluir
  5. sera que esse juiz e essa defeza não tem familia,filho ou caração.mais DEUS sabe o que faz, o mundo gira,DEUS vai dar o que eles merecem!QUE DEUS TE ABENÇOE E ILUMINI SEU ESPIRITO TENHA FÉ...

    ResponderExcluir
  6. Rui Ricardo Soares Melo Filho31 de março de 2011 10:57

    Cristiane,sou solidário a sua dor.Conte com o meu apoio sempre.Estou triste com a barbaridade que foi cometida contra a sua linda filha.
    Muitos beijos recheados de carinho!

    ResponderExcluir
  7. Cristiane,me solidarizo com a sua dor.Sei que esta situação não é fácil e fiquei triste ao saber que a sua linda filha foi vítima das barbaridades que sofreu desta quadrilha.Conte com o meu apoio.
    Muitos beijos recheados de carinho!

    ResponderExcluir