sexta-feira, 4 de março de 2011

Caso Joanna: falso médico diz que ganhava R$ 500 por plantão


O estudante de medicina Alex Sandro da Cunha Silva, acusado de exercício ilegal da Medicina, que resultou na morte da menina Joanna Cardoso Marcenal Marins, 5 anos, depôs na manhã desta sexta-feira na Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Saúde Pública (DRCCSP) no Rio de Janeiro. Em seu depoimento, o suspeito declarou que recebia cerca de R$ 500 por 12h de plantão. O delegado Fábio Cardoso pediu a prisão preventiva do estudante à 2ª Vara Criminal de Santa Cruz.
Em seu depoimento, Alex Sandro contou que chegou à médica Sarita Fernandes Pereira, outra acusada da morte de Joanna, por colegas de faculdade. Segundo Alex Sandro, ela conseguiu sua contratação como médico e forneceu os dois carimbos que ele usava nas consultas, para isso ele só precisou conseguir o nome de algum médico licenciado.
A delegacia encarregada pela investigação da atuação ilegal de Alex Sandro em hospitais registrou que só no Memorial, localizado em Santa Cruz, ele participou de oito plantões na emergência da pediatria. No hospital Rio Mar, onde Joanna morreu, ele confirmou ter realizado seis plantões. Segundo o suspeito, dos R$ 500 recebidos por plantão, 70% do valor ia para Sarita. A médica será chamada para depor logo após o Carnaval.
Alex Sandro não tinha experiência alguma na área de pediatria e cursava a faculdade de Medicina desde 2000. O estudante trancou o curso por diversas vezes e, em 2007, mudou de instituição. De acordo com a polícia, ele reprovou na maioria das cadeiras do curso.
O estudante disse ainda que desconhece a existência de outros falsos médicos, mas que desconfia que haja, já que era orientado a não conversar com outros funcionários nem almoçar no refeitório.
O três hospitais em que Alex Sandro trabalhou, o Rio Mar, Cemeru e Memorial, serão investigados.
Segundo a polícia, Alex Sandro será indiciando por exercício ilegal da Medicina, falsificação de documento e estelionato. Também serão ouvidos médicos e administradores dos hospitais, onde também serão averiguados prontuários médicos para verificar possíveis falsificações e a existência de outros falsos médicos.
Caso seja confirmada a suspeita do envolvimento de outras pessoas, elas responderão pelos mesmos crimes que o suspeito, bem como formação de quadrilha.
Nos atendimentos, Alex Sandro usava o carimbo de outro médico, André de Almeida, que também será ouvido pela polícia. Eles teriam trabalhado juntos nos hospitais Prosin e São João do Meriti.

5 comentários:

  1. João Paulo Ferreira de Assis6 de março de 2011 10:01

    É uma indignidade de bradar aos céus. 500,00 reais por plantão. Se fez quatro num mês, ele arrecadou mais do que um professor mineiro com 25 anos de carreira, no mesmo mês.

    ResponderExcluir
  2. E o que, que esta acontencendo com o picareta, do Andre Marin?
    Daqui a pouco o publico fica voltado para o medico e se esquece que tudo isso foi aprincipio do Andre, e ai o que está acontencendo com ele?????

    ResponderExcluir
  3. Alguém sabe o que vai acontecer ou está acontecendo com a promotora de justiça que atuou no caso???? O MP disse que iria investigar, mas até agora nada..... Ela continua dando aula de direito penal e processo penal em inumeros cursos preparatórios aqui no RJ, inclusive na Barra da Tijuca em um curso dentro do downtown....

    ResponderExcluir
  4. Pelo menos ele, o picareta, está atrás das grades!! Mas, e a MÁ DRASTA, AQUELA JUMENTA GROTESCA E COVARDE??? ESSE MONSTRENGO MEDONHO MERECE FAZER COMPANHIA ÀS BARATAS ATRÁS DAS GRADES TAMBÉM!!! CADÊ A MONSTRENGA MEDONHA???

    ResponderExcluir
  5. CADÊ AQUELA O G R A MISERÁVEL??? ELA MERECE IR PARA A CADEIA!!! ELA QUE VÁ DISPUTAR O OGRO DELA COM SUAS COLEGAS DE CELA!!! VANESSA VACA COVARDE!!!

    ResponderExcluir